Make your own free website on Tripod.com
Marte

                É o planeta mais próxmo cuja superfície podemos ver. É o vizinho mais parecido com a terra. Possui calotas de gelo nos polos, tempestades furiosas de areia, nuvens brancas flutuando, características que se alteram sazonalmente na sua e inclusive, um dia de 24 horas. Por essas características, o imaginário humano sempre cogitou a hipótese de haver marcianos por lá.
                Um episódio bem cômico mostra a ansiedade de saber mais sobre o assunto:
Há muitos anos, um editor de um jornal famoso enviou um telegrama a um conceituado astrônomo. Dizia: "envie  pelo telégrafo quinhentas palavras sobre se há vida em Marte." Ao que o astrônomo respondeu: "ninguém sabe, ninguém sabe, ninguém sabe...250 vezes."
                Percival lowell, astrônomo, acreditava haver vida em Marte. Em seu observatório, defendia esse argumento com base em suas observações; vias aéreas escuras e brilhantes, uma sugestão de calotas polares, e um planeta repleto de canais que acreditava serem grandes valas que transportavam a água para a vida do planeta. Pensou que a temperatura eram um pouco mais frias e que o ar era rarefeito, mas respirável.
                Foi Alfred Russel Wallace, co-descobridor da seleção natural, quem fez cair por terra as idéias de Lowell. Provou que Lowelll havia errado em seus cálculos. Resumindo: a temperatura de marte é abaixo do ponto de congelamento da água, e o ar é muito mais rarefeito do que se pensava, as crateras são tão abundantes  quanto na Lua. E sobre a água nos canais, afirmou que "nenhuma gota d'água escaparia pela evaoração ou infiltração mesmo a centenas de milhas de sua fonte."  Com isso afirmou ser impossível haver vida inteligente em Marte, mas não manifestou opinião quanto a microorganismos.
                Outros astrônomos tão conceituados como Lowell e possuindo telescópios muito bons, não encontraram nenhum sinal dos tais canais vistos por ele. Foram enviados satélites de reconhecimento e o planeta foi todo mapeado. Não foi encontrado nenhum canal daueles mencionados por Lowell. uma das grandes descobertas da missão Meriner 9 foi que existemm manchas e riscas na superfície marciana, conectadas com os bordos altos das crateras de impacto, que alteram segundo as estações.  São decorrentes da poeira carregada pelo vento, os padrões variando de acordo com os ventos sazonais. Porém estas riscas não se parecem com canais, não estão na posição que eles estariam, e não são largas o suficiente para serem vistas da Terra.
                Quando em 1971, a espaçonave soviética Marte 3  penetrou na atmosfera marciana ocorreu uma sucessão de fatos com um estranho desfecho:
os sistemas de pouso funcionaram bem, orientaram corretamente sua cobertura inferior, o pára-quedas desdobrou-se apropriadamente e os retrofoguetes foram ligados próximo ao término da descida. Em suma, o pouso foi um sucesso. Depois, durante 20 segundos a espaçonave enviou uma imagem sem formas para a terra e parou, definitivamnete.  A mesma sequência de eventos ocorreu dois anos depois,  com a Marte 6, porém ela falhou um segundo após ter chegado. É provável que a Marte 3 tenha sido apanhada durante uma forte tempestade de areia.  A missão U.S. Mariner 9 mostrou evidências de ventos próximos a superfície, que ultrapassam a marca de 140 metros por segundo. Mesmo que a marte 3 tivesse  pousado com seu pára-quedas normal, um vento lateral foprte certamente a teria destruído. No entanto, no caso  da Marte 6 , não havia nenhuma  tempestade global no planeta. Só restam duas possibilidades: ou foi um problema de engenharia que ocorreu na hora do pouso, ou foi alguma coisa perigosa na superfície marciana.

Missão Viking

                A missão americana Viking foi esquematizada informalmente e programada pra chegar a Marte no bicentenário dos Estados Unidos no dia 04 de julho de 1976.  A atmosfera é tão rarefeita que se a Viking tivesse pousado em uma elevação grande não teria havido atmosfera suficiente pra brecar a descida e a nave teria se despedaçado. Depois de uma viagem de um ano e meio e uma distância de 100 milhões de quilômetros. Ocorreu um atraso no pouso que não pôde ocorrer no dia 04 de julho , devido às condições de Marte.  Este ocorreu dezesseis dias depois. Os locais escolhidos foram: para a Viking 1, Chryse e para a Viking 2,  Utopia.  Os pousos ocorreram com sucesso.
                A paisagem de Marte, não pareceu totalmente estranha, eram semelhantes a alguns lugares no Colorado, Arizona e Nevada: rochas e montes de areia. A [aisagem era  vermelha e chapadas com algumas pedras atiradas pela formação de crateras.
                Cada módulo Viking foi equipado com um braço de recolhimento de amostras para apnhar o material da superfície e colocá-lo dentro da espaçonave. O solo marciano possui menos matéria orgânica do que na superfície da lua. A calota polar norte é formada principalmente de gelo de água e a polar sul, de dióxido de carbono congelado. A área da superfície é tão grande quanto a da Terra.