Make your own free website on Tripod.com

A Revolução Cubana

Quando resolve mudar de vida: fazer uma revolução.

              Procura então o mais novo dos irmãos Castro, Raúl, acusado de por uma bomba em um cinema e do assalto a Moncada.  Encontraram-se muitas vezes para conversar e enquanto isso Ernesto lia muito sobre o assalto.  Uma noite dessas, em julho, encontra-se com o irmão mais velho dos Castro. Este era líder do movimento de resistência a Batista, que ficou conhecido como 26 de julho. No dia 8 de agosto Fidel chega ao México e encontra-se com Ernesto numa conversa que durou mais de 8 horas.
            O casamento de Ernesto se consolidou quando se deu a confirmação da gravidez de Hilda, no dia 18 de agosto de 1955. Hilda Gadea Acosta e Ernesto Guevara Serna.  Ele escreve aos seus pais e notícia com muita sutileza o seu casamento. Foi a primeira vez que falou sobre Hilda.  Mas não falou sobre ele a sua amiga Tita.
            No dia 16 de setembro, ocorre o golpe militar na Argentina contra Perón e foi triunfante. Os militares reprimiam e perseguiam as organizações de base do peronismo.
            Fidel Castro tinha ido aos EUA e quando retornou, começaram os preparativos para um expedição e treinamento de pessoal. O plano deles era organizar um desembarque no oeste da ilha. A partir daí, novos personagens entram em sua vida, exilados cuja ditadura lhes fizera muito mal. As mulheres também tiveram uma participação muito forte no movimento.  Ao grupo, incorporou-se Arsacio Vanegas, lutador de luta-livre mexicano encarregado do preparo físico dos outros membros do grupo que começou com longas caminhadas.
            A partir de janeiro de 1956, o treinamento ficou mais intenso, incluindo subidas ingremes com mochilas nas costas, lutas e práticas de tiro ao alvo. Junta-se ao grupo, Bayo, ex-coronel republicano exilado no México, e depois  Antonio del Conde, que possuia uma loja de armas e passou a fornecer-lhes.
            No mês seguinte, precisamente no dia 15 de fevereiro de 1956, nasceu sua filha Hilda Beatriz.
            Na segunda quinzena de maio, avisa sua esposa que terá de treinar fora da cidade, eles que já não estavam bem naquele casamento, acabaram por se separar.  A polícia de Batista queria matar Fidel Castro e em 20 de junho de 1956 prendem Fidel, Ramiro e Universo. Depois foram presos Candido e Julio Diaz. Ciro estava preocupado com o seu carregamento de armas no carro, e quando foi pegá-lo, foi detido junto com Benitez. Hilda e a filha que ficaram na cidade também foram levadas, Hilda estava sendo acusada de receber correspondência para Fidel. Ernesto que passou a ser conhecido como Che também foi preso e ameaçado com a tortura da mulher e da filha.
            Em 9 de julho declaram greve de fome,as autoridades liberam  20 detidos, porém Che, Fidel e Calixto continuaram presos. No dia 24 de julho, Fidel é liberado. Em 27 de julho, a imprensa o acusa de estar ligado a movimentos revolucionários e de manter relações estranhas com os russos. E apenas 57 dias depois, Che e Calixto foram soltos. Ele conta que foi mediante uma grande soma em dinheiro que Fidel teve de pagar.
            Fidel e Cuate compraram um barco, aumentaram sua potência em dois motores a mais para poder levar todos os homens. Haviam 16 expedicionários no início de outubro, no fim somaram-se mais 20. Eles estavam escondidos da polícia, porém tinham um traidor no grupo e no dia 24 de novembro, Fidel adentra ofegante o esconderijo de Che e o chama pra fugir. Che saiu sem olhar pra trás e sem ao menos levar sua bombinha pra asma.  Ao total, 82 homens entraram no pequeno barco para fugir. Partiram a uma e meia da  madrugada do dia 25 em direção às ilhas caimãs, em Cuba. Esperavam por eles em seu destino: exércitos munidos de tanques e aviões  de combate . Com o peso dos homens e das armas, o Granma quase afunda, um barco feito para umas 20 pessoas. A maioria dos alimentos ficou, no barco, apenas sacos de laranja, duas latas de biscoitos, algumas dúzias de ovos e um presunto meio podre. Muitos homens passaram mal,inclusive Che com seus ataques de asma.  Graças ao delator, que eles não sabiam de quem se tratava, tiveram de alterar a rota para a praia de Las Coloradas. Chegaram a alguns quilômetros de lá, em Belic, mais de sete dias depois, onde o barco encalhou no lodo a dois mil metros da terra firme, a 2 de dezembro. Pouco alimento, muita fome. Eles já estavam a 11 dias sem se alimentar direito. Quando se deram as quatro e meia da tarde do dia 4 de dezembro, os aviões começaram a disparar contra eles.   Uma das balas ricocheteou nas que Ernesto carregava e acertou-lhe no pescoço.  Mas não foi nada muito grave, embora lhe tivesse coberto o corpo de sangue. No outro dia já começava a cicatrizar. O grupo entra no mato e acaba se dispersando.  Eles tinham um pono de encontro delimitado por Fidel em caso de se perderem, a Sierra Maestra. no dia 11 de dezembro, famintos e cansados ,  descobrem uma casa e vêem do lado de fora um soldado. Benitez queria chegar a ele para perguntar , mas acabou desistindo, por sorte. Era a casa de um colaborador do exército, chamado Manolo Capitán, que havia delatado nove expedicionários do Granma, sendo que 8  foram assassinados. Mais adiante Che observaças as tropas de Julio Laurent, que havia descoberto outros expedicionários e os mataram, inclusive Ñico López. Mudando de rumo, mais a noroeste, encontraram um arroio e puderam matar sua sede e carregar um pouco de água.
            Às duas da madrugada do dia 13, encontraram uma outra casa e desta vez, resolveram se aproximar. era a casa de um camponês adventista, chamado Antonio Gonzáles, que trabalhava em uma das redes do 26 de julho. Receberam a notícia da morte de 16 expedicionários. Também souberam que Fidel estava vivo.   No dia 15 eles ficaram em uma caverna e permaneceram por lá, uns dois dias. Finalmente no dia 20 de dezembro chegam ao lugar combinado onde os esperam Fidel, Ameijeiras, Universo Sanchez e mais 6 sobreviventes. Tudo o que sobrara do Grnma eram 18 homens. Eles se reuniam, faziam combates simulados. No dia 15 avistam o quatel de La plata. No dia seguinte,  atravessam o rio, encontram dois camponeses que lhes informaram que lá havia 15 soldados. Mais tarde apareceu um tal de Chicho, o homem estava bêbado e quando Universo abordou-o ele disse a contrasenha, eles logo viram que o homem era inimigo porém estava muito bêbado pra entender alguma coisa. Fidel aproveitou para sondá-lo, e perguntou porque eles ainda não acabaram com os rebeldes. Ele disse que os guardas não faziam nada além de comer. Ele disse que havia matado dois rebeldes e que o general Batista o havia libertado.  14 camponeses aderiram a revolução. 32 homens tomaram suas posições. Tinham 22 armas e pouca munição, nào poderiam falhar no ataque ao quartel. Quando iniciaram o ataque as duas e quarenta da manhã, o primeiro a ser executado foi o assassino Chicho. Os soldados foram caindo aos poucos, os que sobreviveram receberam os cuidados de Che. Depois de uns dois dias ouviram disparos, os soldados haviam matado uma homem que não quisera dar informações sobre os rebeldes.  Che viu que um soldado se aproximava se escondendo dos tiros que disparavam. Ele disparou um tiro e errou, porém o segundo acertou no peito do soldado.  Che se deparava com o primeiro homem que matou.  segui-se uns dias de paz e calmaria, até que em 9 de fevereiro um camponês os avisa que há um exército de 140 homens nas proximidades. Avistaram-nos  e à uma e meia da tarde começou o tiroteio. nesse tiroteio morreram dois soldados e um rebelde, Julio Zenon Acosta, a quem Che estava alfabetizando. Eles haviam descoberto o traidor 3 dias depois, Eutimio Guerra, um camponês. Ocorre uma reunião entre os chefes urbanos do movimento Frank País, Haydée Santamaría, Armando Hart  e Celia Sánchez. Fidel pede mais munição. O movimento urbano prepara um golpe jornalístico , dias mais tarde, decide procurar um jornal de alcance internacional, o  New York Times  que logo designa seu repórter Herbert Mathews, que 20 anos antes havia feito a cobertura da Guerra Civil Espanhola. Só o fato de Fidel estar vivo já era manchete internacional. Terminada a entrevista, voltaram a se mobilizar. Encontraram por fim, o traidor Eutimio, e com ordens de matá-lo, Che o faz. dias depois chega um reforço de 50 homens. Ao todo, já eram 80 homens, entre eles Jorge Sotus a quem Fidel escolheu para  o comando da tropa. Os meses de  março e abril foram praticamente treinamento. Foi nessa época que Che recebeu sua rede de lona, que era dada apenas a quem fizesse uma de tecido, mas devido à asma Che não podia fazer, mas Fidel lhe concedeu mesmo assim, agora então ele tinha onde deitar para dormir. Foram se juntando camponeses e o grupo aos poucos chegou a 15 homens. Che analisa os novos e licencia os menos confiáveis e sobram 127 homens. Oitenta destes homens foram selecionados para atacar um quartel. Nesse ataque Che acaba por se destacar, avançando com bravura, desviando das balas. A operação teve sucesso e conseguiram libertar 14 rebeldes que estavam presos no quartel. O grupo estava sempre se renovando, entravam uns, desertavam outros, mas os homens efeitivos não chegavam a ultrapassar 30.  Fidel tentava negociar com a oposição liberal enquanto Che era da opinião que a única forma de acabar com uma ditadura militar era militarmente. Eles pensavam em reforma agrária,  mudanças sociais profundas, mas antes disso era preciso  depor Batista.
            Fidel analisa as qualidades de Almeida e Raúl mas decide optar por Che para o comando da tropa, por ser, segundo ele, obstinado, dedicado e pela sua capacidade de comando diante de situações difíceis.  No dia 31 de julho, atacam o quartel de Bueycito. O pelotão de Ramiro conseguiu arrasar tudo. Seis dos doze guardas ficam feridos e um rebelde foi morto. Nesse momento em Cuba, se desenrolavam 3 revoluções: uma em Santiago, que envolve inclusive a aristocracia, uma rebelião juvenil muito radicalizada em Havana e o começo de uma guerra camponesa contra a ditadura em Sierra Maestra. Juntam-se vários adolescentes ao grupo aos quais Che trata com o mesmo rigor.
            Entre os próximos combates que se sucedem, o mais importante foi terem conseguido armas, visto que as deles pareciam vindas de museus, tal era a condição que elas não acertavam mais nada. Um caso que causou contradições na imagem de Che foi que um tal de Echevarría,  passando-se por Guevara, amedrontou os camponeses e estuprou suas filhas.
            Resolveram fazer uma provocação a Sanchez Mosquera: puseram uma bandeira do movimento do 26 de julho, de 6 metros no alto da montanha e um cartaz cumprimentando pelo Ano-Novo. Essa bandeira desencadeou muitos bombardeios. O próprio Che pediu depois a retirada da bandeira porque Sanchez estava ameaçando um grupo de crianças. Em 29 de novembro, os rebeldes estavam cercando a coluna de Sanchez quando Ciro Redondo é morto ao tentar penetrar nas posições inimigas. Che decidiu defender a todo o custo a base de El Hombrito, consciente da incapacidade de organizar lutas prolongadas e mantê-las. As emboscadas que preparam nbão funcionam, as minas não explodem e ele ordena que abandonem o local. A situação estava complicada, várias vezes as coisas não saíaram como planejado. Quando fizeram uma emboscada, pouco depois ele levou um tiro  no pé esquerdo. Esse fato causou um grande impacto nos camponeses da região.  Nesse combate o exército acabou queimando as casas dos camponeses.  A base de El Hombrito ficou destruída com mais de 40 casas queimadas. Quatro meses e meio depois foi nomeado comandante.
            Deu-se um período de trégua na guerrilha, e agora eles passaram a sofrer a falta de remédios, alimentos, propaganda e armas. Os camponeses passaram a plantar pra eles. Foram para um caminho mais difícil que a base de El Hombrito, para a base de La Mesa. Che se queixa por carta a Fidel  do comando da cidade que parecia sabotar a coluna de Che. Em 12 de dezembro de 1957, Fidel enviou -lhe  dezessete mil cartuchos e balas.  A rede começou a melhorar. A situação não era a única preocupação de Che, ele também queria fundar uma estação de rádio na montanha. No dia 23, um de seus oficias conta-lhe que conhece um técnico que acreditava ser possível construí-la. Eduardo Fernández era um técnico de rádio que tinha  um pequena oficina de consertos em Bayamo, e que é membro do 26 de julho. Conseguiram o material pra construí-la. Ficou pronta na segunda seman de fevereiro.  Outro projeto de Che era construir uma fábrica de armas. Criaram um lança granadas que mais tarde foi acoplado a uma escopeta.  Fizeram outros ataques, alguns com sucesso, outros com baixas. Fidel pede cuidado a Che.
            Che durante esse período recebe a erva-mate que lhe envia sua tia Beatriz, e introduziu na serra o costume de tomar chimarrão. Contra os jornalistas ele utilizava suas defesas infalíveis: o sarcasmo repentino e o sorriso silencioso. No pelotão de Che havia os combatentes novatos que no meio dos tiroteios se levantava e disparavam de frente com o inimigo. Essa era chamada entre eles de "a lei dos mau". Em primeiro de março, duas colunas se separam da coluna mãe, fato que coincide com o nascimento da Rádio Rebelde que a princípio passou aser transmitida em frequencia de rádio-amador,  e executava o "hino invasor".  A transmissão era ruim devido a cadeia de montanhas e Che decide mudá-la para os Altos de Conrado. Radios repetidoras venezuelas como a Rádio Rumbos, a Rádio Continente e a Rádio Caracol são ouvidas em Cuba. Seus dois projetos foram realizados, a fábrica de armas que já produzia e a rádio que já era ouvida. um tempo depois Che instalou em Minas del Frío um novo acampamento que serviria como escola de recrutas para jovens camponeses, onde receberiam treinamento,  onde se desenvolveriam trabalhos educativos e políticos. Contra a escola ocorria bombardeios contínuos, porém os alunos a fortificaram.
            Nesse mesmo período, Che une-se a uma mulher, uma jovem mulata de 18 anos chamada Zoila Rodriguez, solteira mas que tinha uma filha. Che tinha outro objetivo agora: construir um hospital  e salas de aula, mas essas construções sào descobertas e bombardeadas.  Mais jovens integram o grupo de Che, estes estudam a história de Cuba, fazem greve de fome, e como castigo de Che, ficam 5 dias sem receber comida. Com a mulher ele aprendia muita coisa sobre o lugar, as plantas, os animais e as aves da serra.
            No dias 10 e 11 de março, reúnem-se na Sierra Maestra, a Direção Nacional do 26 de julho para determinar a estratégia imediata, determina-se buscar uma saída insurrecional  para a tensão política, sob a forma  de  uma greve geral.  Fidel  fez  uma  convocação  a   greve geral que foi divulgada pela rádio no  momento de  sua  eclosão. Porém a derrota da greve coloca as tropas bastitianas na ofensiva. Dias mais tarde ocorreu um novo confronto com as tropas de Sánchez Mosquera e Che fica isolado.  Ele deixou o comando 4 nas mãos de Ramiro e vai tomar conta da escola de recrutas.  No dia 03 de maio, ocorreu  uma nova reunião da Direção Nacional e Che  foi  convidado a participar, a reunião foi tensa e o balanço da greve desfavorável.  No fim, ele foi encarregado de   inspecionar  as linhas de defesa  na serra,  onde  segundo  Fidel  haveriam de se  produzir  as  primeiras penetrações ofensivas.
            Em 8 de maio Fidel escreve a Ramón Paz, dizendo ter recebido notícias de desembarque do exército. Este foi o primeiro sinal da ofensiva governamental. Na base, eles preparavam  minas utilizando as bombas lançadas pelos aviões e que não tinham explodido.  A  parte  mais  sangrenta  da  guerra se inicia.  O exército  preparou  14 batalhões, inclusive com tanques e artilharia pesada. o confronto ocorre em uma região chamada La Herradura, perto de Las Mercedes.  Durante  30  horas  os  rebeldes resistem a  um  bombardeio de morteiros e aviões.  Por sugestão de Fidel, Che cria a coluna 8 composta pelos alunos da escola de recrutas. O exército  avança  mas  é detido pelas tropas dos rebeldes Almeida e Ramiro. Os combates duraram 6 dias, num lugar em que muitas vezes os soldados tinham de andar em fila indiana, ou por caminhos feitos a cavalo e tropas de mulas. Nesse período, Fidel  poupava  Che e Camilo e  não  os quis utilizar nos comandos das tropas para depois  dirigirem  as  colunas.
             Em 16 de junho, Fidel ordena o abandono da região de La Mesa, e concentra forças na defesa antes de pensar no contra-ataque. Em 17, informa que ele tem de tentar impedir o avanço de uma tropa a São Domingo. Fidel chegava a utilizar alto-falantes pra gritar informações falsas fazendo com que o exército bombardeie suas próprias tropas. Ele conseguiu juntar 253 prisioneiros. O saldo destes confrontos foram 50 baixas para os rebeldes e a ofensiva Batista completamente enfraquecida.
            Fidel tomou uma decisão: queria aproveitar esse enfraquecimento para passar instantaneamente por eles. No dia 17 de agosto chama Che para acertarem os detalhes. Em La Plata resolveu falar à sós com Che, tiveram uma conversa de horas. No dia seguinte, Fidel dá notícias do fim da ofensiva por meio da Rádio Rebelde e anuncia a saída das "colunas invasoras" da Sierra Maestra em direção a outros pontos da ilha. Fidel partia da opinião de que deveria avisar a população porque isso a animava.  Muitos soldados se recusavam a combater em território desconhecido,  tinham  verdadeiro  pavor  de  planícies. Che consegue armas, balas e fuzis para suas tropas, faz a lista com os nomes dos que irão combater, a idade média  deles  é  de  24 anos.  Ele  parecia  saber  o  trajeto  das bombas, porque algumas vezes disse "a próxima vai cair aqui" e é o que de fato ocorria. Em 24 de agosto, Che convoca uma reunião da coluna e lhes fala sobra a missão, numa frase que eles não gostaram muito de ouvir: "Na planície teremos soldados no café da manhã, aviões no almoço e tanques no jantar."  Zoila queria ir junto como voluntária, mas ele se negou. Despediram-se apenas. No dia 28 chega uma avião do exílio mas logo é descoberto e seu descarregamento é feito debaixo de tiros. Às sete horas da noite do dia 30 de agosto, Che transmite as ordens de marchar em silêncio, não deixar rastros e não fumar.  Passaram  momentos  difíceis com a chegada  do  ciclone Daisy. Pegaram 3 carros pelo caminho, mas não adiantava seguir com eles, pois atolavam.  Em  4  de  setembro, depois de atravessar o rio Salado, eles entram em contato com os casmponeses que lhes esperam  e recebem   48 pares de botas de uma colaborador do 26 de julho. Cria um grupo para castigar os indisciplinados e seu comando é dado a Armando Costa que tem a função de manter a disciplina rigidamente.  O próprio  Che  tinha  deixado  um homem sem comer por dois dias por ter deixado escapar um tiro.
            Aproximam-se da fazenda  La Federal. Os soldados ficam sabendo da presença deles nas proximidades. Ao amanhecer eles trocam sinais, Ramiro grita: "26 de julho!",  enquanto  de  outro  lado: "aqui é a guarda rural!" Depois disso começam os disparos. Tentam entrar no chalé da fazenda, ocorre um tiroteio que resultou  em  um morto e três feridos. Param a marcha por um dia e retornam a 11 de setembro, com alguns problemas com os guias que se perdem dispersando as tropas e tendo atrasos. O pelotão de Che estava com 150 homens, todos exaustos.  Che resolve parar por ter recebido uma notícia de emboscada do exército. Retomam, portanto, a marcha no dia 13, já com 4 caminhões, 2 jipes e um caminhão distribuidor de rum. Estes veículos por segurança se mantém a uma distância de 50 metros um do outro.  Pararam num casebre, onde se incorporam mais 3 pessoas, o caminhão atola, Che dá uma bronca de fuzil na mão para que o desatolem.  O  pelotão  tem  ordens  dele  de  não  abrirem  fogo generalizado e sim quando realmente for necessário. Houve uma confusão, foi necessário combater  para permitir  a passagem dos companheiros retardatários. A marcha pela mata durou 47 dias e foi realizada em condição subumana, percorreram (se fôssemos contar em linha reta)  554 km, mas na verdade forma mais do que isso. Che recuperou a mais destacada guerrilha do 26 de julho, que está sob o comando de Vitor Bordón, e possui 202 homens. Fez um daqueles seus discursos secos e enérgicos com a intenção de deixar no grupo apenas os que realmente quisessem ficar e deu licença a todos os que pediram. Ficaram destes 202, 115 homens. No dia 26 de outubro preparam emboscadas no povoado de Güinía de Miranda. Resolvem preparar garrafas de coquetel molotov, mas quando dois rapazes foram lançá-las, acabaram sendo metralhados. A bazuca de Che só foi funcionar na quinta tentativa. Acertou o quartel, matou um guarda, feriu 2 e seis fugiram e os outros se renderam.
            Batista tinha resolvido realizar as eleições para fazer com que seu governo fosse legalizado, e Che tinnha de impedir que se realizasse essas eleições. Agora a corrida era contra o tempo. Porém não conseguiram agira a tempo. As eleições fracassaram, apenas 30% dos eleitores votaram ,mas mesmo assim foi eleito Rivero Agüero, candidato de Batista. Uma comissão de membros da rede urbana sobe ao Escambray para entregar 500 mil pesos a Che. A comissão era composta pelo líder Seratín Ruiz de Zarate, Martha Lugioyo, Graciela Piñera, O médico Cuco Rodriguez e a ativista Aleida March, que havaia feito intervenções importantes como mensageira e combatente durante a guerra de abrile  o Levante de Cienfuegos. Aleida soube que estava sendo procurada pela polícia e por isso, decidiu ficar em Escambray. Ela e Che interessaram-se mutuamente, e se apaixonaram no decorrer das lutas. Sabe-se muito pouco sobre Aleida devido à sua humildade e recusa a dar entrevistas. A partir de dezembro se tornaram companheiros. O exército veio ao encontro deles, eram uns mil homens que não estavam muito bem armados. Che já contava além de sua tropa de 150 homens, a tropa de Bordón, o apoio da coluna do diretório e um número crescente de recrutas. O exército não estava tão bem preparado e isso causou muitas baixas. Che assinou um pacto em meio aos bombardeios com Cubela e Castelló, representantes do diretório. Esse pacto  foi uma declaração de intenções e o compromisso de realizarem as novas operações em conjunto e ficou conhecido como Pacto del Pedrero e foi assinado no dia 1 de dezembro. No dia seguinte, mesmo sob bombardeio realiza um jantar pra comemorar o aniversário da chegada do Granma.
            Um acontecimento importante marca a data do dia 15 de dezembro: no início da noite, as forças da coluna 8 e do diretório fecham os acessos a Fomento, um povoado onde existe um quartel do exército, com 140 homens. A situação deles era difícil, estavam quase sem munição para invadir o quartel. Mais tarde chegaram os aviões batistas e começaram a bombardear. Os rebeldes tinham o total apoio da população. Nessa batalha relâpmago eles sofreram baixas importantes. Cortaram a luz do quartel. Já estavam no segundo dia de cerco quando Che decidiu retirar as emboscadas e concentrar as tropas ao redor do quartel. Até que no terceiro dia os soldados se renderam.  Che conseguiu pegar no quartel: dois jipes, 3 caminhões, um morteiro, uma metralhadora calibre 30,  138 fuzis e metralhadoras leves , 9.000 balas, 18 pares de sapatos, 4 máquinas de escrever e um relógio despertador. Depois disso, lançou um pelotão para deter o trânsito ferroviário para Oriente., explodiram um trecho da estrada de ferro, permitiram a passagem de um trem e descarrilaram o outro, distribuindo comida entre a população. No dia 21 as tropas da coluna 8 atacam os quartéis da cidade de Cabaiguán e do povoado de Guayos. Che também opta pela ofensiva relâmpago. Quando foram a cidade de Caibaguán, esperavam por les 90 homens entre soldados e policiais e muitos franco-atiradores. Dois rebeldes invadem a fábrica de charutos e rendem 6 soldados. Depois avançam para a estação de microondas onde há dez homens,  para  que  eles  possam tomar o quartel.  Novamente,  foi um sucesso,  capturaram 90 prisioneiros,  muita  munição,  doze  longas  armas,  sete metralhadoras calibre 30, 85 fuzis e metralhadoras leves. Duas horas depois, se lançaram em outras invasões. ãs quatro e meia da madrugada do dia 23, os rebeldes já dominam todos os quartéis ao norte e a leste da serra de Escambray. Na cidade de Placetas não foi diferente e a população festeja a vitória dos rebeldes. Che desenvolveu em seus homens uma ofensiva e um ritmo de uma velocidade de avanço alucinante. Aproveitava todas as fraquezas do inimigo e era um ótimo estrategista. Depois de passaram por outros povoados , resolvem dar uma parada.
              Ele  recebe  a  informação  de  que  Batista  estava  mandando  para  Santa  Clara  um exército  de 3200 homens, morteiros, canhões, dois tanques cometas e dois de menor tamanho e amis o apoio da aviação. Che contava para enfrentá-los 214 homens, mais 100 da coluna que forma o diretório e 50 recrutas de Caballete de Casa. Ou seja, em torno de 9 soldado para cada rebelde. Chegam na universidade de santa Clara, às  quatro horas da manhã de 28 de dezembro. Logo se aproxima deles um caminhão com soldados e dá-se um tiroteio. Na universidade, se improvisa um pronto-socorro.  A  população  fica  apavorada  com os  bombardeios.  Lá  pelas  onze  horas  da manhã, o diretório chega a 600 metros do quartel.  No quartel, o coronel Casillas está desesperado sem saber o que está acontecendo. Che apela à população que colabore com os rebeldes, visto que o exército conta com muito mais homens e mais tanques.  Estudou bastante a situação e com cuidado decidiu  começar  a infiltração. O balanço ainda é favorável para os rebeldes apesar do avanço extremamente lento. No dia seguinte, o exército Batista consegue mobilizar suas tropas e contra-atacar os guerrilheiros. A população alegre com a luta dos rebeldes, sai às ruas levando-lhes café e comida. Eles descarrilharam um trem, e dezoito rebeldes capturaram 350 soldados, lançavam sobre eles coquetel molotov, o trem tornou-se um verdadeiro forno pros soldados que queriam defendê-lo. O comandante dos soldados, Gómes Caderón, se reúne com Che e pede a libertação.  Conseguem com isso: 6 bazucas, 5 morteiros de 60 mm, 4 metralhadoras calibre 30, um canhão de 20 mm, 38 metralhadoras leves Browing, granadas, 600 fuzis automáticos, uma metralhadora calibre 50 e um milhão de balas. Um armamento superior ao de todas as forças rebeldes que operam em Santa Clara. As armas são distribuídas aos rebeldes de todos os pontos da cidade. Che quer se livrar dos prisioneiros  porque não possuia homens suficientes para vigiá-los, e acaba mandando 3 rebeldes transportar quatrocentos prisioneiros. Quando invadiram o quartel de Los Castillos, os soldados tentaram fugir, mas ficaram presos entre os tiros dos rebeldes e dos soldados sitiados. Muitos acabam morrendo, os outros foram presos pelo diretório. A batalha mais violenta do dia, se dá na delegacia de polícia, onde se concentravam 400 soldados e policiais, apoiados por pequenos tanques e dirigidios pelo coronel Cornelio Rojas, que havia participado de seções de tortura e era um conhecido assassino de civis. Tiveram muitas dificuldades em se aproximar. Vaquerito (Roberto Rodriguez) , o comandante da tropa que mais se mobilizava, a tropa suicida,  se arriscou muito, avançou muito depressa, acabou levando um tiro na cabeça que foi mortal. A respeito disso, quando Che viu o corpo de Vaquerito sendo carregado pelos outros rebeldes, pronunciou algumas palavras que não lhes sairiam mais da memória: "Perdi cem homens" . Muitos soldados seguiram a luta chorando, e a pressão sobre eles só aumentava. Che consegue fazer prisioneiro um tenente do exército. Mas ainda precisava dominar a delegacia de polícia, os franco-atiradores, o quartel Leoncio Vidal com 1300 soldados bem mais armados que os rebeldes. Os membros da tropa suicida se preparava pra atacar, queriam vingar a morte de Vaquerito. Na delegacia o coronel mata um de seus principais homens porque queria se render. Os policiais que estão dentro da delegacia passam fome e estão desmoralizados. O coronel pede uma trégua para retirarem os mortos que estavam se decompondo. Che lhe concede duas horas e lhe pede rendição. Não entram em acordo  e o coronel pede pra negociar com Leonardo Tamayo. Este vai até a delegacia e propõe-lhes que se não pretendem lutar que se rendam e os policiais começaram a sair, no total, 396. O coronel, consegue escapar.   Os aviões bombardeiam a cidade e pretendem explodir o forum que já estava tomado pelos rebeldes, neste momento eles utilizam suas armas anti-aéreas e rapidamente somem-se os aviões do céu. Já são 31 de dezembro de 1958 e falta-lhes apenas dominar o esquadrão 31, o quartel Leoncio Vidal e o gran-Hotel onde estão os franco-atiradores.
            Às 3 da madrugada do dia 1 de janeiro de 1959, Fulgêncio Batista, deixou ao general Castillo, o comando do país e foi-se para o exílio em Miami. No entanto, pousam em São domingo, terra de outro ditador sanguinário, Leónidas Trujillo. O esquadrão 31 se rende, pois corre entre os soldados o boato da fuga de Batista. O coronel usa rádio para se comunicar com o quartel.  Os franco-atiradores que estavam isolados no décimo andar do Gran Hotel e mortos de fome, saqueavam o bar do hotel. Eles foram capturados. Faltava somente o quartel Leoncio Vidal. No entanto o coronel Cándido Hérnandez pede trégua indefinida, Che nega-lhe e diz que só aceita rendição incondicional. No fim do prazo, aceitam a rendição. Fidel estava indignado com a fuga de Batista, que seria o fim da sua suspeita de golpe de estado. Ele chegou a apoiar-se em uma armário e escreve: "Revolução, sim; golpe militar, não".
           

Vitória da revolução

             Fidel avisa pelo rádio que é pra eles tomarem a fortaleza de La Cabana e o bastião de Batista. E às 3 da tarde decreta greve geral em Santiago. Em Havana o caos é generalizado. A população sai às ruas, ocorrem saques em cassinos e hotéis, as milícias do 26 de julho ocupam os jornais de Batista, a polícia metralha civis nos bairros pobres, os presos são libertados, os policiais abandonam as delegacias. A população está fazendo justiça  que há tanto tempo vinha sendo esperada.  Em Santa Clara, o povo libertado está em festa e pede que os torturadores capturados sejam levados ao paredón.  Che precisou por guardas na porta pra evitar que o povo pulasse em cima deles. Nesse meio tempo, assinou a sentença de morte de doze assassinos e torturadores do povo.  Dias depois da execução, Cornelio Rojas, que havia tentado fugir e houvera sido capturado em Caibarén, também foi executado. Às nove horas Santiago se rende e Fidel empossa como presidente o magistrado Manuel Urrutia e a Rádio Rebelde declara lei seca nas cidades ocupadas. No dia 3 de janeiro, Che faz um discurso conciliador aos 3 mil soldados batistianos que estão na fortaleza.
            Na noite de 4 de janeiro o diretório avisa que espera o presidente para uma reunião, não havia simpatia entre eles. O diretório concorda em deixar o palácio e se instalar na universidade em Havana. Em 8 de janeiro, Che ouve o clamor popular produzido pela chegada da coluna de Fidel no meio da multidão. Em apenas um dia ele consolida sua indiscutível liderança popular.
            Nestes dias Che enfrenta Gutiérrez Menoyo e os homens da II Frente.  Numa reunião emque estavam Che, Raúl , Camilo e quatro comandantes da II Frente que queriam conservar suas patentes ao se incorporar aos rebeldes. Che indignado pergunta: "Quem deu estrelas a vocês?" ao que Carrera responde ao gritos: "Foram ganhas em combate!" e Che replica: "Que combates?"  . A reunião terminou sem acordo.
            Che, nesta parte da história, fica em segundo plano, nem ele sabe qual é o seu papel nesse processo. No dia 9 de janeiro, sua família chega a Havana. Fazia seis anos que Che não os via.  Seu pai pergunta o que ele vai fazer em relação à medicina? E ele, sempre sarcástico, responde: "Veja bem, pai, como você se chama Ernesto Guevara, como eu, coloque no seu escritório uma placa com seu nome e embaixo escrito 'médico', e já pode matar gente sem nenhum perigo."  Não foi fácil para seu pai ouvir isso depois de tantos anos. Chegou junto com seus pais, dois jornalistas amigos da família: Carlos María Gutierrez e Jorge Ricardo Masetti.
            Che confisca os arquivos do Birô de Repressão a atividades comunistas. O resultado disto é uma coletiva de imprensa onde Che mostra as provas de um atentado contra Fidel organizado pelo BRAC. Em 13 de janeiro inaugura uma Academia Militar Cultural em La Cabaña para continuar a alfabetização e ensino básico em aulas ministradas por estudantes de Havana. Reside em uma casa com sua esposa Aleida , Férnandez Mell e sua escolta. Ele trata os jovens de sua escolta como se fossem seus filhos, inclusive os castiga quando fogem para visitar Havana. Cria oficinas artesanais que recebem o nome Oficinas La Cabaña Livre.
            Os julgamentos e execuções dos torturadores batistianos criaram as primeiras tensões entre a jovem revolução e o governo norte-americano.  O senador Wayne Morse estava acusando a revolução de assassinar seus opositores indiscriminadamente. Fala histórias terríveis sobre assassinatos de jovens desarmados e torturas. Fidel contra ataca as acusações em um discurso no dia 21 de janeiro na frente do palácio. Ele afirma o direito de justiça popular e dos fuzilamentos. Perguntou ao povo se é considerada correta o fuzilamento aos torturadores e obteve 93 % de aprovação.  Em La Cabaña funciona o TR1, Tribunal Revolucionário 1, dirigido por Miguel Angel Duque de Estrada, responsável por julgar militares e policiais e aplica a pena de morte e o Tribunal Revolcionário 2 julga civis e não aplica a pena de morte.  No dia 27 de janeiro, Che profere uma palestra entitulada "Projeções Sociais do Exército Rebelde". Nessa palestra ele manifesta as idéias que vem amadurecendo durante anos em sua cabeça. Finalmente ele achou o seu papel na revolução: o tópico social e reforma agrária. Destaca que o latifúndio é base de todos os problemas econômicos e prevê uma futura invasão norte-americana.  Che não fala apenas de Cuba mas sim, de toda a América Latina, quando fala em  fazer  revoluções agrárias. O problema em Cuba é enorme, 1,6% dos proprietários possuem 46% das terras. Em seguida o exército rebelde começa a reconstrução das moradias queimadas durante a guerra. Em 11 de fevereiro, durante o programa denominado Comentários Econômicos, Che insiste no tema da reforma agrária.
            A saúde de Che complica, o médico diagnostica uma pneumonia perigosa. Pela radiografia descobre um enfisema pulmonar duplo e difuso no pulmão direito. Fidel arruma-lhe uma casa em Tarará e Che permanece na cama conforme recomedações médicas. Mudou-se para lá com Aleida e sua escolta. O médico lhe proibia de fumar e ele prometeu que fumaria apenas um charuto por dia. Quando o secretário de Che chegou em seu quarto viu-o fumando um charuto de quase meio metro, ao que ele respondeu: "Não se preocupe com os médicos, estou cumprindo a minha palavra:  um charuto por dia nem mais nem menos."
            Enquanto Che permanece de cama, mudanças sociais profundas começam a ocorrer: no dia 03 de março, a intervenção na companhia telefônica, no dia 06, as intervenções são nas companhias de ônibus metropolitanos, no dia 10 de março os aluguéis baixam 50% e alguns dias depois, o preço dos remédios diminui. É promulgada a lei 112, que confisca os bens que tinham sido apropriados ilicitamente pelos funcionários do governo Batista. Em 9 de abril deu-se uma reunião emque houveram debates acalorados, e entre os assuntos, estava em pauta a decisào de parar com os fuzilamentos. Fidel era da opinião de parar e esse foi um dos primeiros desentendimentos que teve com seu irmão Raúl que achava que deveriam continuar. Che dedica-se com muito carinho a dois projetos da área da informação: a agência de imprensa independente Prensa Latina e a Revista Verde Olivo. No fim do mês de abril, ele participa de um ato dos operários da indústria do tabaco que doam fundos para a reforma agrária.
Che achou muito suaves as primeiras mudanças relativas à reforma agrária, enquanto elas pareciam muito severas ao ministro da agricultura. No dia 22 de maio, recebe a sentença de seu divórcio com Hilda e no dia 02 de junho, regulariza sua situação com Aleida.
             Fidel faz uma profunda mudança no gabinete governamental, tira ministros da velha política pró batistiana e membros da ala de direita. Mas afasta temporariamente Che da política nacional por representar sua ala esquerda radical (Fidel sempre adepto da política das conciliações).
            Che, a partir de 12 de junho, despede-se de sua esposa e de Fidel e começa sua viagem, sua intenção é ser um embaixador itinerante. No dia 16 de junho chega à República Árabe e se hospeda no Cairo. Suas entrevistas com Nasser não foram calorosas. Che acaba por questinar a profundidade da reforma agrária egípcia e provoca uma discussão. Visita  Damasco, o canal de Suez e Alexandria. Em 1 de julho visita o túmulo de Gandhi e a mesquita de Jama Masjid. No seu jantar com Nehru e Indira Gandhi, acaba sendo seu fracasso como diplomático, não consegue estabelecer diálogo com eles. Visitou a Índia por diversas vezes, as fábricas têxteis, de máquinas de costura, um instituto nuclear e tudo o que possa ser útil para a Revolução Cubana. Plea primeira vez escreve à sua mãe, uma carta em tom de um desabafo, ele se sente insatisfeito de estar fazendo essas viagens repletas de formalidades, preferia estar comtemplando as ruinas arqueológicas, não ter como amigos só os que pensem igual politicamente e fala da saudade que sente de sua esposa, Aleida. sai da Índia com a sensação de que diplomacia não é o seu forte. No dia 12 viaja para a Birmânia, 3 dias depois para a tailândia. No dia 15 vai para o Japão, e faz suas visitas costumeiras: fábrica de armas, estúdios cinematográficos, fábricas de helicópteros, de máquinas têxteis e conversa com banqueiros.
            Enquanto isso em Cuba, dá-se o confronto entre os de direita e os de esquerda. Fidel acusa na televisão Urrutia de estar fazendo o jogo dos conservadores. Fidel renuncia ao cargo de primeiro ministro. O povo reage fazendo uma greve geral e uma marcha camponesa em direção à Havana. Urrutia renuncia e o novo presidente, Dorticós, não aceita a renúncia de Fidel.
           Vai para a Indonésia, mas não simpatiza com o representante, depois para Cingapura onde fica parado por problemas no avião, segue para Hong Kong e examina toda as marcas de máquinas fotográficas antes de optar por duas delas. O clima de lá lhe faz mal devido à asma. Passa por Ceilão, assina um acordo pra vender 20 mil toneladas de açúcar e se fascina pelas ruínas arqueológicas locais. Segue para Atenas, e sai triste por não poder visitar a Acrópole, e segue dali para a Iugoslávia (o primeiro país socialista da viagem).
            Fidel desmonta uma conspiração de pecuaristas cubanos conservadores, que atuam de acordo com o ditador dominicano Trujillo. Captura um avião que trazia armas vindas da República Dominicana.  Che passa por Roma, por Madri e Marrocos.  Chega de volta a Cuba no dia 9 de setembro, quase 3 meses depois. No dia 30 de setembro na Academia de Polícia faz um dos melhores discursos de sua vida, deixando claro aos jovens policiais que sendo eles o corpo dos exércitos revolucionários mais perto do povo têm a obrigação de se transformar em portavozes da opinião popular. Afirma que o funcionário público deve estar a serviço da vontade popular. No dia 07 de outubro, Fidel  deu a Che a tarefa de chefiar a industrialização do recém criado Instituto Nacional de Reforma Agrária. Ele já tinha vários encargos como:  chefe do Departamento de Instrução das Forças Armadas, que o obriga a organizar a educação do Exército Rebelde, dirige o Verde-Olivo, a banda militar, o departamento de cinema e  seções de artes plásticas, além de ser chefe militar de La Cabaña. Che recebe a colaboração de um grupo de economistas enviados pelo partido comunista do Chile, dirigido por Jaime Barrios, Raúl Maldonado e Carlos Romeo. Os primeiros problemas se encontram em administrar as empresas e não fechá-las, para manter os postos de trabalho.  Che pediu a seu companheiro de viagem, o economista Vilaseca que lhe ensine matemática superior, tinha aulas duas vezes por semana, às oito da manhã...às vezes as aulas duravam até 5 horas.  Em Santiago, tenta convencer os estudantes da necessidade da universidade de se integrar ao projeto governamental e pedindo para acabar com apolêmica e o confronto, pois para desenvolver o processo revolucionário era necessária a incorporação dos estudantes nas práticas sociais, a definição de prioridades nas carreiras, etc. Ele participa de palestras em várias universidades. No dia 18 de outubro, Raúl Castro é nomeado ministro das Forças Armadas. Esse fato provoca uma reação violenta em huber Matos, comandante do exército em Camagüey que acaba renunciando no mesmo dia, Fidel ordena que Camilo prenda Matos.  Diante da ameaça de julgamento , Pazos ameaça renunciar. Otulski e Ray dizem que o fato de ele ter se separado da revolução não é sinal de traição. Raúl afirma que diante da agressão externa, a atitude dele é contra-revolucionária e ele deve ser fuzilado. Fidel pede que os dissidentes renunciem e Che intercede por eles. No dia 11 de dezembro ocorre o julgamento de Huber Matos, porém não encontraram provas concretas de traição. Antes disso, no dia 9 de outubro, Camilo Cienfuegos desaparece com seu avião. Realizaram muitas buscas, mas ninguém mais soube dele, que era uma querido personagem da revolução. Depois disso, Che convoca os trabalhadores de Manzanillo para realizar uma jornada de trabalho voluntário, na construção de um complexo escolar que levará o nome de camilo Cienfuegos.  Soldados do exército trabalharam e o próprio Che que vinha de havana de avião nos domingos para uma jornada de 8 horas de trabalho na construção. Em 26 de novembro recebe a certidão de nacionalidade cubana e no mesmo dia recebeu a nomeação de presidente do Banco Nacional de Cuba. A nomeação causou o  protesto do embaixador norte-americano. O próprio pai dele se assustou, achando que Fidel estava ficando louco, e disse: "cada vez que um Guevara abre um negócio, vai à bancarrota." No dia 27 assume a presidência e toma uma série de medidas de controle relacionadas as licenças de importação, operações de financiamento a serem pagas emmmoeda estrangeira, importação, exportação de moedas, vendas de dólares a turistas e outras pessoas residentes no estrangeiro. Medidas estas que tem o objetivo de controlar as reservas de divisas. Che tinha muito pouco tempo livre. Dormia muitas vezes menos do que as mínimas 6 horas diárias. Vivia numa condição precária finaceiramente, recusava receber os salários de cargos acumulados, recebia apenas o de 440 pesos como comandante. Mandava 100 para Hilda cuidar da filha, pagava 50 de aluguel e 50 de prestação do carro usado que comprou. A vasta biblioteca era de livros que ele ganhava de presente. No dia 9 de setembro, entrega os primeiros títulos de propriedades aos camponeses.  Na televisão informa que os EUA aumentam a pressão e que tinha cortado os créditos para importação. Ocorreram várias reuniões para se discutir a possibilidade de obter apoio soviético no caso de aumentar a pressão norte-americana. Fidel envia uma comissãodirigida por Núñez jiménez aos paises socialistas para conseguir oportunidades de comércio,mas a viagem não dá resultados. Alexeiev, um russo estranho que falava espanhol, que preparará o contato definitivo. A direção da revolução cubana envia Héctor Rodríguez Llompart com um convite. E em fevereiro de 1960 trecebem a visita de Anastás Mikoyan, uma das principais figuras da burocracia soviética e membro do Politburo do Partido Comunista da URSS.  Ele se tornou o maior partidário de Cuba.
            No dia 4 de março, explode um navio francês de setenta toneladas que carregava armas belgas. Che se dirige às docas do Arsenal. O desastre matou 75 pessoas e deixou quase 200 feridas. Ele auxilia nas tarefas de resgate.   Che ainda encontra tempo para escrever para o jornal semanalmente. Escreveu 18 artigos em que falou sobre eleições na Argentina, sobre as bases norte-americanas na América-Latina, a Coréia, a política do bloqueio, a OEA, Nixon, Idigoras e Somoza.  Um mês depois de acabarem os artigos, começará outra série de artigos de reflexão militar que se chamam "Consejos al Combatiente". Publicou também o livro Guerra de guerrillas, o livro em que trabalha desde 1959 e que é dedicado a Camilo, que é um manual de sua aprendizagem guerrilheira durante a revolução cubana. Do dia 20 de maio, é o discurso proferido na inauguração da exposição industrial, onde declarou: "meu tema preferido é apenas um..a industrialização do país."   Em 14 de julho começa a discutir com os trabalhadores para deter uma onda de pressões por aumento salarial, produzidos nos setores mais organizados do movimento operário. O número de desempregados, em torno de 300 mil, já havia chegado à metade do que era antes da revolução, mas ainda era um número muito alto. Em 17 de julho, num artigo do Verde Olivo, Che faz gozações relativos a paranóia americana de que há submarinos russos em Cuba, que na verdade possui apenas armas italianas e belgas. Durante 4 meses, em que ocorrem vários confrontos entre os EUA e Cuba, Che tenta evitar fuga de divisas, fortalece o Departamento de Industrialização .  Em  19 de agosto, inaugura o curso de doutrinação do Ministério da Saúde Pública. Nesse período, vem se negando a conceder entrevistas a jornalistas norte-americanos, apenas concorda quando se trata de indianos e irlandeses. Esses jornalistas chamavam Che de "cérebro da revolução" e nos artigos sempre o expunham como revolucionário que despertava as simpatias entre os jovens, ao contrário de Fidel. Che reage sorrindo e afirmandi que a tática de colocá-lo contra Fidel não funcionará.
   No dia 13 de outubro, os EUA decretam o bloqueio econômico a Cuba. Em resposta, 400 bancos foram nacionalizados e promulgada uma lei que entrega as moradias aos seus abitantes ou congelam os aluguéis. Em meio ao cerco se fechando, Guevara no dia 22 de outubro de 1960 viaja via Madri-Praga em direção ao leste europeu, para obter o apoio do bloco soviético: créditos e saída comercial para os produtos bloqueados, que permitam a sobrevivência da ilha de Cuba. Em Praga, recebe um crédito de 20 milhões de dólares para a indústria de transporte. Entre 29 de outubro e 14 de novembro, ocorrem as primeiras negociações. Os cubanos precisam de uma saída para o açúcar produzido e pedem em troca petróleo e peças de reposição para manter a indústria funcionando. Em 17 de novembro, é recebido com aplausos na China, onde recebe 60 milhões de dólares de ajuda para Cuba e, caso não pudesse fazer o pagamento mais tarde, não teria importância. No entanto, fica sabendo que os chineses estão pagando à Rússia as armas usadas na guerra da Coréia e empalidece: um país socialista cobrando de outro as armas utilizadas para defender um terceiro.
Como de costume, Che nunca está presente ao nascimento de seus filhos. Em 24 de novembro, nasceu a primeira filha deste novo casamento, que levou o nome de Aleida Guevara March. No dia 18 de dezembro, fecha o acordo final cuja peça básica é o convênio açucareiro, onde consegue vender 4 milhões de toneladas de açúcar a 4 centavos a libra, um preço superior ao do mercado mundial. Mesmo países que não precisam de açúcar, como a Coréia, o Vietnã e a Mongólia, comprometem-se a comprar aproximadamente vinte, cinco e mil toneladas respectivamente, para salvar Cuba do bloqueio imposto pelos EUA. Retorna a Cuba e se depara com o terrível aumento da tensão entre Cuba e os EUA. Em 3 de janero de 1961, os EUA rompem relações diplomáticas com Cuba e, seguindo orientação norte-americana, todos os países latino-americanos fazem o mesmo. Em 15 de janeiro, volta a participar de jornadas de trabalho voluntário, na construção de casas em um bairro miserável, chamado Las Yaguas. Na semana seguinte, muda a presidência dos EUA, de Eisenhower para John F. Kennedy. O exército rebelde entra em alerta vermelho e Che envia uma mensagem a Kennedy: Esperamos que o sucessor do nosso tão odiado inimigo, Eisenhower, seja um pouco mais inteligente e não se deixe dominar tanto pelos monopólios.
        No dia 23 de fevereiro, o governo de Cuba cria o Ministério da Indústria, a fim de organizar as empresas nacionalizadas, controladas pelo departamento de industrialização, às quais se somaram outras centenas nas últimas semanas. Che é nomeado ministro.

Planos e Idéias:

            Che pretendia ficar cinco anos ainda em Cuba e depois queria ir embora. Seu pacto com Fidel era de que,  depois de colaborar com a revolução cubana,  teria liberdade para continuar a revolução em outro lugar. Em 13 de março, decreta-se o racionamento de carne, leite, sapatos e pasta de dentes. Che levou este racionamento às últimas conseqüências, implantando-o dentro de sua casa e também no Ministério, baseado no que a população estava comendo.
            Che afirmava que  a burocracia não nasce com a sociedade socialista nem é um componente obrigatório dela.  Ele acredita que o grande remédio para a irracionalidade burocrática, produto da centralização e da hierarquização, é a reação social e a consciência. Afirmava que a revolução havia criado uma pressão social, um forte impulso que fazia com que milhares de  trabalhadores rompessem as limitações da burocratização e impulsionassem o processo revolucionário por razões de consciência e não por razões materiais. E isso de fato ocorria.
            Quando diminuiu o número de desempregados, ele concedeu bolsas a filhos de operários e reduziu a importação de artigos de luxo. Disso decorreu uma enorme quantidade de dinheiro canalizada para o consumo de bens, que gerava escassez.

Bombardeio:

            Às seis horas da manhã do dia 15 de abril, aviões norte-americanos bombardearam  as bases aéreas de Santiago, San Antonio de los Baños e Cuidad Libertad. Che viajou pra Pínar del Rio para comandar o exército de lá; Raúl Castro foi para a região leste;  Almeida para a central.  No dia seguinte ele viajou para Havana para participar do enterro daqueles que morreram pelos bombardeios. Fidel negou a notícia publicada pela Cia de que o bombardeio foi feito pela aviação cubana e determina o caráter de 'tudo ou nada' da revolução socialista.  Às oito da manhã , Che se comunica com Fidel e fica sabendo que os combates já começaram e que os invasores já dominaram três povoados pequenos.  Porém, ele e Fidel acreditam que seja manobra de distração e que a invasão será realizada em outro ponto da ilha. Porém, Fidel com sua capacidade estratégica,  controlou tudo por teefone e o cerco aos invasores foi se fechando. No dia 17,  muitos destes invasores foram detidos. Depois viajou para a área de Che,  pois acreditava que lá o desembarque seria em breve, mas foi alarme falso. Os invasores retrocederam e os combates mais  demolidores ocorreram em Girón.  No dia 19 de  o Exército Rebelde tomou Girón e a invasão foi  um fracasso.

Situação Econômica

            Depois desse fato, os companheiros da Federação Açucareira lançaram o lema: "em primeiro de maio, seis milhões de toneladas de açúcar. Che fica indignado, porque não gosta de demagogia e promessas que não podem ser cumpridas.
            Ele sempre caía  no vício de planejar as coisas baseado em suas ilusões: como um de seus planos,  de que por volta de 1965 Cuba já estaria fabricando carros.  No entanto, um tipo de planejamento que fracassava em 75% das vezes, era capaz de ter um êxito assombroso quando funcionava, como no caso da indústria siderúrgica, que obteve um crescimento de 75%. Uma preocupação que assolava as empresas neste momento era manter os empregados pra não demitir. O próprio Guevara admitiu que mantinha no banco 100 funcionários desnecessários. Faltava também mão-de-obra especializada para colocar as máquinas que vinham da União Soviética em funcionamento. O cerco aumenta e a presença soviética, que por um lado proporciona aos cubanos o alívio necessário e por outro lhes oferece um modelo econômico, também aumenta. Che estava preocupado em manter a base industrial de Cuba e logo a fábrica produtora de níquel de Moa começa a funcionar. Isso foi um sucesso de uma etapa importante. Che em diversas palestras e entrevistas afiram que o caminho da independência é o da industrialização.
            No dia 18 de agosto, reúne-se em segredo na Argentina com o presidente Frondizi onde falam sobre caminhos para o desenvolvimento, sobre a preocupação de Frondizi  de que Cuba participasse do Pacto de Varsóvia e acaba por sugerir a Che, eleições. No dia 19 de agosto, reúne-se no Brasil com Jânio Quadros, reunião esta que resultou na declaração pública de que o Brasil apoiaria Cuba, no que se referia ao direito de autodeterminação dos povos. No entanto, meses mais tarde, ambos são depostos por golpe militar.  Depois que Ernesto falou da escassez de pasta de dentes, refrigerantes, carne, ovos, sapatos, passou a falar em paralização de empresas de cavilhas de ferro e cabos de cobre por falta de matéria prima.
            No dia 16 de dezembro de 1961, colocou a bandeira vermelha e branca , que representava território livre do analfabetismo, na base militar de San Julián. Os números são imensos, principalmente se formos considerar os dois anos de revolução: 707 mil alfabetizados, faltava apenas 3,9% da população. A partir de 1962, as relações com os soviéticos começam a ficar tensas. Fidel declara que não é possível conviver com os ianques.  Entretanto, de outro lado, Kennedy está disposto a acabar com a revolução. De fevereiro até agosto a Cia providenciou 761 sabotagens que causaram além de perdas mateirais , muitas vidas.
            Na época, o povo estava pressionando o governo pela igualdade dos salários pelo nível mais alto, pois quando se unificaram as empresas, descobriu-se uma disparidade muito grande entre elas. Che não concordou,  porque com a escassez de produtos, não adiantava subir salários.  Ele manisfestou seu desprezo pelo poder e isso muitas vezes o impediu de ver que o movimento 26 de julho, formado por camponeses,  estava sendo substituído por  burocratas marxistas, que perseguiam homossexuais,  prendiam sem julgamento e praticavam abusos arbitrários.
            Em 20 de maio nasce eu primeiro filho homem, Camilo, no mesmo momento em que se agravam as tensões entre os EUA e Cuba. Aos poucos, Guevara ia descobrindo o atraso tecnológico dos países socialistas e com certeza, ficava muito decepcionado com isso. Dedicou-se muito ao trabalho voluntário, embora fosse acometido pelos ataques de asma. No moinho, aprendeu a encher e a costurar sacos de farinha, num ambiente em que o pó lhe fazia muito mal, usava o inalador e não parou de trabalhar até costurar o saco de número 100 mil.
            Em 13 de agosto, o embaixador soviético entrega a Fidel o acordo sobre as bases de mísseis. Fidel revisa e entrega a Che para que o leve à URSS.  Em 27 de agosto chega a Moscou e, três dias depois, são recebidos por Nikita. Che insiste para que o acordo seja feito em público, mas Nikita não aceita e nem assina o documento. O acordo acaba não sendo firmado.
            O governo americano organiza uma campanha de denúncia  sobre a existência de armas soviéticas em Cuba. Os russos reagem declarando que são armas defensivas.
            Acreditando na possibilidade de um ataque iminente dos EUA, Che organiza depósitos de munições em cavernas e serras, e percorre trincheiras e acantonamentos, falando com as pessoas e levantando o moral.  Kennedy manda aumentar a frequência dos vôos de observação. Fidel ordena que se dispare contra os aviões e, um deles é derrubado. Porém, Kruschev propõem a Kennedy o desmantelamento das bases em troca da proposta de não invadir Cuba e de uma negociação de retirada dos mísseis norte-americanos da Turquia que estão dirigidos contra Cuba. Fidel recebe um boletim informativo de Kruschev onde o  dirigente soviético diz que negociou com base em uma promessa de Kennedy.  Fidel declara publicamente que se opõe a uma inspeção em Cuba e diz que não temia o perigo que pairava sobre eles já há muito tempo. Os soviéticos enviaram para a ilha,  Anastas Mikoyan, com o intuito de suavizar as reações ásperas dos países aliados. Che não foi convidado por ser um pouco radical. Mas o encontro mesmo assim ocorre com frieza.  Dias depois os americanos retiram o bloqueio naval e os soviéticos desmontam suas bases.
            Uns dias depois a tensão diminui um pouco. Certo dia, Hilda chega em casa e encontra Che brincando com a filha e o cachorro no chão.
            Dias mais tarde, depois de algumas entrevistas, Che queixa-se de suas respostas não serem reproduzidas com autenticidade e salienta a tendência da imprensa para o sensacionalismo. Ele conseguia criar, por meio de sua personalidade e seu jeito duro,  fidelidades duradouras e ódios mortais. Nesse mesmo mês,  dedicou-se a dar impulso à projetos  industriais de máquinas para o corte da cana-de-açúcar. Como não tinham nenhum acesso às máquinas de outros países e os países socialistas não as tinham tiveram de reinventá-la sobre um trator comum de 50 cavalos. Fabricaram uma e foram testá-la. Depois de vários problemas e várias paradas que totalizaram três horas e meia, ao fim do dia conseguiram um corte de 6 mil arrobas. Depois de vários dias anuncia a fabricação de mil cortadoras, sendo que quinhentas já estavam prontas. Ele disse em seu discurso que não era trabalho pra uma pessoa só,  ficar 12 horas em cima de um trator, no entando, ele tinha ficado 13 horas.  Voltou ao seu trabalho no ministério. Reincoporou-se no dia 11 de fevereiro e bateu seu recorde: 18,7 mil arrobas em 9 horas e meia de corte.  E no dia 12,  21, 4 arrobas. Lá mesmo, recebe o auditor do Banco de Moscou que não sabia porque diabos tinha de ir falar com um ministro que estava em um plantação de cana-de-açúcar, e Che não dava importância nenhuma aos créditos do Banco de Moscou.  Em  24 de março, falou  com as mulheres na indústria têxtil de Ariguanabo sobre a formação do Partido Unificado da Revolução Socialista e criticou a discriminação feminina nos setores de trabalho.
            No segundo trimeste de 1963, sua mãe, Celia de La Serna foi presa quando voltava do Uruguai para a Agentina acusada de transportar literatura comunista, e ficou, apesar dos problemas de saúde, 3 meses na cadeia.  Era a vingança contra Che que começava.  Nessa época, Aleida estava grávida de uma menina que nasceu no dia 14 de junho e foi batizada como Celia. Apesar do balanço geral de Cuba ser bom,  houve um aumento da burocratização no conjunto da sociedade. Aumentou a qualidade na gestão industrial, houve um entusiasmo maior da população e um crescimento recorde na indústria e na produção.
            No início de 1964, anunciou um plano de investimentos para a indústria no valor de 180 milhões, que era 18% menor que o anterior. Aos poucos ele passou a investir menos em indústria e mais em agricultura. Ele estava mantendo conflitos permanentes com Regino Boti, ministro da economia e secretário técnico da Juceplan, mas por quem sentia grande respeito e carinho. Aém de suas intermináveis guerras contra a burocracia, continua impulsionando o trabalho voluntário. Em fevereiro de 64, volta a insistir na diferença entre o modelo industrial soviético e o cubano. Seus projetos eram: uma centralização, que utilizasse racionalmente os recursos, racionalizasse a estrutura administrativa, poupasse força de trabalho, unificasse a organização, permitisse movimentos sem conflitos salariais e simplificasse o controle dos investimentos.
            Ernesto encontrava vários problemas entre os administradores, como num caso ocorrido em uma fábrica de calçados, onde encontrou um operário que se queixava de ter de trabalhar em um local de tanta poeira, sendo que  é asmático. Che, que também sofria com isso, falou com o diretor da empresa para ver se não podia colocar um extrator ou algo parecido. O diretor, irritado, disse: "é que ele não tem asma, tem tuberculose".  Não houve registros dos palavrões que sairam da boca de Che.
            Em 17 de março viaja para participar da Conferência de Comércio e Desenvolvimento da ONU. Uma semana depois em Genebra, faz um discurso onde denuncia o bloqueio dos Estados Unidos que não permite a entrada de produtos manufaturados cubanos, mesmo que fabricados em outros países, nem que seus produtos sejam transportados pelos mesmos navios que transportaram produtos cubanos.
            Che sempre acreditou que a revolução cubana era apenas o primeiro passo para a revolução latino-americana e com o passar dos anos foi alimentando este projeto. Durante o período em que foi ministro e realizou os trabalhos voluntários, participou de uma organizacão chamada Libertación, onde realizava tarefas de apoio e solidariedade aos grupos revolucionários latino-americanos. Colaborou com os grupos da Nicarágua, que travaram um confronto armado contra a ditadura de Somoza e que mais tarde se transformou na Frente Sandinista. Além disso, também se concentrou na  Cordilheira dos Andes. Apoiou Masetti, para organizar um foco guerrilheiro  na Argentina.  Porém o grupo acabou sendo capturado, uns morreram em combate, e outros se dispersaram e acabaram sendo pegos mais tarde. Isso mudou os planos de Che, que procurava de país em país, pessoas que desempanhassem esses papéis . Os caminhos da revolução latino-americana estão fechados, pois no Brasil e  na Bolivia tinha ocorrido o golpe militar, e nos outros países,  os grupos revolucionários estavam totalmente desarticulados.
            Che viajou para New York, Argélia e depois, para a China.  Decide passar rapidamente por vários países da África para estabelecer relações com os presidentes de vários destes países. Quando estava em Paris (escala para continuar sua viagem), recebeu a confirmação da morte de Masetti e Hermes Peña, na Argentina.   Che tinha despertado seu interesse pelo Congo e acreditava que lá poderiam se realizar combates. Em 19 de fevereiro, na República Árabe Unida, tem uma reunião com Nasser onde lhe informa que seria interessante entrar no Congo para apoiar os movimentos de libertação. Ele tinha por idéia ainda, viajar para o Sudão, mas a viagem foi suspensa pois as condições políticas eram desfavoráveis a essa viagem. Em 14 de março de 1965, está de volta a Havana e conhece seu novo filhinho de apenas um mês. Ele já tinha amadurecido sua idéia de abandonar Cuba e começar uma revolução em outro lugar. Mas o que poderia haver entre uma revolução latino-americana e uma no Congo?  No momento não havia revoluções que ele pudesse realizar por aqui e considerava o Congo, um ponto estratégico para os países da África. Antes de partir entregou a Fidel os papéis que vinha escrevendo: sua carta de despedida. Parecia até que Che pressentia que seria para sempre. Deixou para trás  3 uniformes velhos, um carro de segunda mão, uma biblioteca cheia de livros e um grande volume em diários, cartas e notas.

Depois da Revolução