Make your own free website on Tripod.com
Alfred Nobel

               
               Nasceu no ano de 1833, filho de Immanuel Nobel, um gênio autodidata que passou a vida idealizando invençãoes. Teve outros 3 irmãos: Robert, Ludwig e Emil.
                Aos 4 anos a família se muda para São Petersburgo, na Rússia. Seu pai monta uma pequena metalurgica, e prospera fabricando minas submarinas. Alfred Nobel estudou formalmente apenas o primeiro ano do primário numa escola paroquial. Porém, teve aulas particulares com excelentes professores. Falava sueco, russo, inglês francês e alemão. Era atraído pela literatura e pela filosofia. Quando a situação do seu pai melhorou, ele viajou pelo mundo por dois anos. Fez estágios em diversos laboratórios de química e acabou interessando-se por explosivos.
                Em 1863, requereu sua primeira patente, um detonador de percussão, o qual chamou de Processo Nobel. Seu pai acabou falindo na Rússia e a família voltou para a Suécia. Lá, ele obteve a patente.
                Na cidade de Helensburgo, perto de Estocolmo, Alfred, Emil e Immanuel começaram a fabricar nitroglicerina, cuja fórmula foi preparada pela primeira vez em 1846, pelo italiano Ascanio Sobrero. A fórmula é simples: uma certa quantidade de glicerina adicionado a uma mistudra de ácido nítrico e ácido súlfuro. Porém, a preparação é muito arriscada. Qualquer choque ou alteração crusca de temperatura provoca uma violenta explosão. Foi numa explosão dessas que, em 1864, a fábrica foi pelos ares e matou 5 homens, inclusive Emil. Poucas semanas depois, seu pai sofreu um derrame e nunca mais se recuperou. Alfred não se deixou abater. Arrumou um sócio e montou uma nova fábrica. Porém, o prefeito de Estocolmo negou-lhe a permissão. Ele então instalou a fábrica numa balsa, em um lago das vizinhanças, fora da jurisdição da cidade. Os negócios prosperaram.
                Alfred mudou-se para Hamburgo e prosseguiu suas pesquisas enquanto dirigia o negócio. Em 1867, Alfred teve a idéia de misturar à nitroglicerina uma substância para diminuir o risco de acidentes. A nova mistura chamou-se dinamite e revolucionou a técnica de explosão de minas, construção de estradas e a sorte nas guerras. Alfred passou a ganhar muito dinheiro.
                Seus irmãos, Ludwig e Robert, que permaneceram na Rússia, também prosperaram. Ludwig encontrou petróleo jorrando do solo junto ao mar Cáspio e Robert reabriu a fábrica de equipamentos militares e teve grande produção.
                Alfred resolveu financiar os investimentos de Ludwig e também tornou-se um magnata do petróleo. Sua vida sentimental é que não existia, a ponto de por num jornal o anúncio: "Um senhor de certa idade, rico e muito instruído, residente em Paris procura mulher experiente e de certa classe, que conheça línguas estrangeiras, para lhe servir de secretária e dama de companhia". Qhem respondeu o anúncio foi a linda Condessa Bertha Kinski Von Chinic Und Tettau, descendente de uma família arruinada da aristocracia austríaca. Falava alemão, francês, inglês e italiano e tinha 33 anos.
                Uma semana depois, Alfred partiu em viagem e Bertha fugiu para se casar com Arthur Von Suttner, seu namorado, de quem se afastara por pressões da família do rapaz.
                Mesmo decepcionado, Alfred tornou-se um grande amigo do casal. Foi por influência dela que ele incluiu no seu testamento um prêmio dedicado a paz.
                Alfred não tinha muitas esperanças quanto a humanidade. Possuia um temperamento muito sombrio. Sofria de terríveis dores de cabeça que atribuiu ao contato com a nitroglicerina. A partir dos 50 anos, teve crises de angina freqüentemente.
                Em 1891, foi expulso da França acusado de espionagem industrial em favor da Itália. Perde nos tribunais o direito a patente de um tipo de pólvora sem fumaça. Passa os últimos anos em Bjorkborn, a 80 km de Estocolmo.
                Faleceu às 2 da madrugada do dia 10/12/1896. Um ano antes, assinou que seus rendimentos de 31 milhões de coroas suecas de sua fortuna deveriam ser distribuídos anualmente às pessoas que mais benefícios houvessem prestados à humanidade.