Make your own free website on Tripod.com
Chamou-se Michel de Nostre-Dame. Conhecido por Nostradamus, nome alatinado (coisa comum no tempo,
     como Descartes era Cartesius). Creio que êle quis dizer: "damus nostra", em latim = "damos coisas nossas";
     intuições que Deus me revela.

     Nasceu em 14 de dezembro de 1503, em Saint-Remy-de Provence (sul da França). Seu avô foi um droguista
     célebre e astrólogo. Seu pai foi notário. Seus antepassados foram judeus. Nostradamus foi cristão, como já fôra
     um seu próximo antepassado convertido. Frisava sempre que sua inspiração era inata; que seus antepassados
     descendiam da tribo de Issachar (filho de Jacó), notável pelo dom profético, na raça judaica: "destros na ciência
     dos tempos, para ordenar o que Israel devia fazer" (Crônicas I: 12-32).

     Cursou medicina na Universidade de Montpellier, onde se doutorou, com alta classificação, aos 26 anos. Viajou
     pelo sul da França e pela Itália, convivendo com Scaligero, médico e filósofo de fama. Fixou-se depois em Salon
     de Provence, como médico. Casou-se com Adriette de Loubejac, de quem teve dois meninos. Em 1545 há uma
     epidemia (a "peste negra"), na Provença, que êle consegue debelar. Morrem-lhe, porém, a espôsa e os dois
     filhos. Recolhe-se ao mosteiro de Orval (no Luxemburgo), onde escreve as principais profecias. Em Lyon surge
     outra epidemia, e Nostradamus debela-a igualmente. Volta a Salon. Casa-se com Ana Ponsarde. A sua fama
     espalha-se. Cobrem-no de honrarias. É conselhereiro de Henrique II, e é estimado por Catarina, Francisco II e
     Carlos IX. Chavigny, doutor em direito e teologia, seu conteporâneo e discípulo, diz na biografia que lhe traçou:
     "tinha corpo robusto, fronte grande, nariz direito, olhos cinzentos, olhar doce, mas rutilante, quando se zangava;
     rosto severo e risonho, barba longa; pensava muito e falava pouco; dormia 4 a 5 horas; louvava e amava a
     liberdade de linguagem; chistoso, mordaz, mas risonho; fervoroso no catolicismo; dizia que fora do catolicismo
     não há salvação; repreendia os que se afastavam dêle, condenando suas doutrinas estranhas e dizendo que êles
     teriam mau fim; fazia orações e jejuns; dava esmolas, literalmente, dizendo: _"granjeai amigos com as riquezas da
     iniqüidade" (S. Lucas 16-9: "parábola do mordomo fiel"). Faleceu em Salon, em 2 de julho de 1566, sendo
     sepultado na igreja do Convento de Cordeliers. O seu último túmulo foi visitado por altos personagens: Luís XIII,
     Luís XIV acompanhado do Cardeal Mazarino, e outros. O epitáfio do seu túmulo, gravado em latim, diz:

         _"Aqui estão os restos mortais do muito ilustre Miguel Nostradamus, o único, na opinião de todos os mortais,
     cuja pena quase divina, foi digna de escrever, segundo o movimento dos astros, os futuros acontecimentos, que
     se hão de dar no mundo inteiro. Viveu 62 anos, 6 meses e 17 dias. Morreu em Salon, no ano de 1566. Que a
     posteridade não pertube o seu repouso. Ana Pônsia, sua segunda mulher, deseja ao seu excelente espôso um
     eterno descanso".

     Na Revolução francesa (1791) seu túmulo foi profanado; mas, depois, seus restos mortais foram levados para a
     Capela daVirgem, na igreja de Saint-Laurent, em Salon, onde ainda hoje os salonenses depõem flôres, como
     homenagem ao grande vidente.

     As suas obras:
         - "Carta a meu filho César Nostradamus" (em prosa).
         - "Carta a Henrique II, rei da França" (em prosa).
         - "As Centúrias" (são 12, escritas em quadras, com versos de 10 e de 12 sílabas).
         - "Presságios" (141 sílabas).
         - "Predições" (58 sextilhas).

     A 1ª edição foi feita em Lyon: _"Les Vrayes Centuries et Profeties de Maistre Michel Nostradamus", em 1555.
     O editor foi Macé Bonhomme. Compreende apenas a Carta a César e as primeiras Centúrias. Em 1568, Rigaud
     fêz outra edição, com mais outras obras. Em 1668, Jean Jansson publicou a edição definitiva, em Amsterdão.

     A divisa de Nostradamus é: "A Deo, a natura", que contém a chave principal para decifrar suas profecias (=
     inspirado por Deus, e pela ciência da influência dos astros na vida humana).

     AS CENTÚRIAS NÃO ESTÃO POR ORDEM CRONOLÓGICA. Os intérpretes, às vezes, cometem grandes
     erros, o que é natural. Por exclusão de partes, porém, tendo já verificado que certos acontecimentos se deram, e,
     como falta pouco para 1999 (que é o fim de suas predições), vão procurando decifrar o que falta.
                                                *
     Nostradamus morreu de gôta, que se espalhou por todo o corpo. Fêz testamento, confessou-se ao Padre Vidal e
     comungou como cristão fervoroso. Nos seus livros frisa sempre que não praticou a magia; de 1400 a 1504,
     foram queimados 30.000 bruxos e bruxas, sendo por isso grande o seu temor.

     Nostradamus predisse a sua própria morte nos "Presságios", dêste modo, o que realmente sucedeu:
     "De volta de uma embaixada (a Arles, a convite do rei Carlos IX), nada mais fará; irá para Deus; próximos
     parentes, amigos, irmãos de sangue, achá-lo-ão morto, perto do leito e do banco".

     Sucedeu, em 2 de julho de 1566, realmente assim.

     Em junho dêsse mesmo ano, escreveu numa carta a Jordão Stadius: _"Hic prope mors est" = "aqui (minha) morte
     está próxima". No dia 1 de julho (na véspera de sua morte), precisou: _"Já não me vereis com vida ao nascer do
     sol".

Nostradamus e o futuro

                                       Nostradamus, em suas profecias, refere-se a uma terceira
                                       guerra neste século, que terá lugar no hemisfério norte,
                                       depois que duas grandes potências se aliarem contra o
                                       leste:
                                       "Quando aqueles do Pólo Norte estiverem unidos
                                       No Leste haverá um receio grande...
                                       Um dia os dois grandes chefes serão amigos,
                                       A Nova Terra terá atingido o auge do seu poder,
                                       Para o homem de sangue o número repete-se"

                                       O 'homem de sangue' é identificado como sendo o terceiro
                                       Anticristo do mundo, que surgirá na China.
                                       A 'Nova Terra' era uma expressão vulgar em todas as
                                       profecias de Nostradamus como referência à América
                                       atual.
                                       Assim, Nostradamus parece sugerir uma guerra entre
                                       China, Rússia e América aliadas.
                                       O profeta chegou mesmo a indicar a data precisa do
                                       conflito - '...quando o ciclo dos séculos se renova...' :

                                       "No ano de 1999 e sete meses
                                       dos céus virá o grande rei do Terror...
                                       Antes e depois a guerra reinará."

                                       O hemisfério norte será o que mais sofrerá:
                                       "Uma grande fome causada por uma 'peste' estenderá o
                                       seu longo alcance por todo o Pólo Ártico."

                                       O vídeo "A voz do futuro", coleção Vídeo-Print, da editora
                                       Abril, apresenta a seguinte previsão:

                                       "Em agosto de 1998, seres extraterrestres serão
                                       filmados pela primeira vez e mostrados na televisão.
                                       A transmissão mundial dessas imagens causará uma
                                       completa mudança na opinião pública sobre a
                                       existência de outras civilizações e formas de vida no
                                       universo. O homem não estará mais só."
Nostradamus, em suas profecias, refere-se a uma terceira
                                       guerra neste século, que terá lugar no hemisfério norte,
                                       depois que duas grandes potências se aliarem contra o
                                       leste:
                                       "Quando aqueles do Pólo Norte estiverem unidos
                                       No Leste haverá um receio grande...
                                       Um dia os dois grandes chefes serão amigos,
                                       A Nova Terra terá atingido o auge do seu poder,
                                       Para o homem de sangue o número repete-se"

                                       O 'homem de sangue' é identificado como sendo o terceiro
                                       Anticristo do mundo, que surgirá na China.
                                       A 'Nova Terra' era uma expressão vulgar em todas as
                                       profecias de Nostradamus como referência à América
                                       atual.
                                       Assim, Nostradamus parece sugerir uma guerra entre
                                       China, Rússia e América aliadas.
                                       O profeta chegou mesmo a indicar a data precisa do
                                       conflito - '...quando o ciclo dos séculos se renova...' :

                                       "No ano de 1999 e sete meses
                                       dos céus virá o grande rei do Terror...
                                       Antes e depois a guerra reinará."

                                       O hemisfério norte será o que mais sofrerá:
                                       "Uma grande fome causada por uma 'peste' estenderá o
                                       seu longo alcance por todo o Pólo Ártico."

                                       O vídeo "A voz do futuro", coleção Vídeo-Print, da editora
                                       Abril, apresenta a seguinte previsão:

                                       "Em agosto de 1998, seres extraterrestres serão
                                       filmados pela primeira vez e mostrados na televisão.
                                       A transmissão mundial dessas imagens causará uma
                                       completa mudança na opinião pública sobre a
                                       existência de outras civilizações e formas de vida no
                                       universo. O homem não estará mais só."
Conselheiro de três reis da França - Henrique II, Francisco II e Carlos IX - e
                          homem de confiança da Rainha Catarina de Médicis, Michel de Nostredame,
                          mais conhecido como Nostradamus, foi certamente uma figura excepcional.
                          Formou-se em Medicina, mas dedicou muito de seu tempo à astrologia, à
                          alquimia, à teologia e à literatura. Nasceu na cidade de Saint-Rémy, na França
                          em 14/12/1503.
 
 

                          Ainda bem jovem, depois de aprender latim, grego, hebraico, matemática e
                          astrologia com seu avô materno, Michel matriculou-se na Escola de Medicina
                          da Universidade de Montpellier. Em 1525, com 22 anos, começa sua carreira
                          de médico, fica quatro anos em Bordeaux onde combate uma epidemia de
                          peste em condições muito precárias. Fixa-se depois em Agen, onde se casa e
                          tem dois filhos. Mas a peste não respeita ninguém, e é assim que Nostradamus
                          fica sem família. Passa algum tempo viajando pela Itália e depois volta para
                          Provença, sua cidade natal, para descansar e recuperar-se. Lá Combate a
                          peste de 1546. Sua parada seguinte foi a cidade de Salon-de-Craux, onde se
                          casa novamente com uma viuva, Ana Gemella, e tem seis filhos. O primeiro
                          deles é Cesar, ao qual mais tarde dedicaria as primeiras Centúrias. É nessa
                          época que começa a escrever sua Centurias e outras mensagens proféticas -
                          mas, receoso de incorrer em desagrado e perseguições, prefere adiar sua
                          publicação. Seu desejo de vê-las conhecidas, porém, é mais forte. Manda-as
                          então para a impressão e, em breve tempo, suas profecias se tornam famosas.
                          O rei Henrique II da França convida-o a fazer parte de seus conselheiros em
                          1566. Com a morte de Henrique II em 1559 (prevista na Centúria I-35)
                          continua como conselheiro de Francisco II e depois com CarlosIX.
 
 

                          É o período em que a estrela de Nostradamus brilha com mais força. Sua fama
                          de médico e adivinho ultrapassa as fronteiras da França; de todos os cantos da
                          Europa chegam celebridades para conversar com ele. A saúde de
                          Nostradamus, entretanto, não acompanha todo esse brilho. Já havia alguns
                          anos ele sofria de artrite e gota. Em meados de 1566, sofre um forte ataque de
                          hidropisia (acúmulo de líquido nos tecidos). No dia 1º de julho chama um
                          criado e pede-lhe para arrumar o quarto, "pois não estaria mais vivo ao
                          alvorecer do dia seguinte". E assim foi.
 
 

                          Nostradamus morreu em 02 de julho de 1566, sendo sepultado de pé (para
                          que ninguém pisasse nos seus ossos) numa das paredes da igreja dos
                          Cordeliers, em Salon. Alguns anos antes ele fizera uma profecia que o tocava
                          de forma particular: a sua própria morte. Foi enterrado rigorosamente de
                          acordo com os preparativos que ele próprio organizou. Junto a seu corpo
                          pediu que fosse colocada secretamente uma placa de metal com uma
                          determinada data. Uma das lendas sobre Nostradamus dizia que todo aquele
                          que bebesse utilizando a caveira de Nostradamus como se fosse um copo
                          conquistaria a capacidade de também predizer o futuro. Porém essa mesma
                          lenda dizia que essa conquista duraria poucos segundos, pois seu autor, em
                          seguida, tombaria fulminado pela morte. Em maio de 1791, durante a
                          Revolução francesa, o túmulo de Nostradamus foi aberto por soldados
                          bêbados.Ao abrir o caixão ficaram espantados com a placa que lá estava, que
                          dizia: "maio, 1791". Um dos soldados desafiou a lenda e tomou vinho no
                          crânio de Nostradamus, e foi atingido por uma bala perdida, morrendo
                          instantaneamente. Seus restos foram então reenterrados em outra igreja de
                          Salon, a igreja de São Lourenço, onde permanecem até hoje.
 
 

                          As centurias de Nostradamus foram escritas em linguagem bastante hermética.
                          Ele conhecia com perfeição as línguas clássicas. Utilizou esses conhecimentos
                          para apresentar suas mensagens proféticas de forma acessível a poucas
                          pessoas. Lançou mão também de alguns truques - como a inversão de letras,
                          sua substituição por outras, anagramas e alcunhas - dificultlando o
                          entendimento de sua obra pelos estudiosos. No total as Centúrias são doze,
                          três delas estão incompletas, as de número 7, 11 e 12. Às Centúrias devem ser
                          acrescentados os Presságios, escritos entre 1550 e 1566 e as outras profecias,
                          encontradas parte em cartas enviadas aos reis e outras personalidades com as
                          quais Nostradamus tinha contato.
                                       Copiright © 1998 - Vagner Fernandes