Make your own free website on Tripod.com
Che Guevara

Ernesto : a vida

            Ernesto Guevara Lynch era um construtor civil que empreendeu vários negócios e fracassou na maioria deles, um estudante de aquitetura que deixou a carreira para ingressar no mundo dos pequenos empresários. Célia de La Serna  era uma  católica fervorosa convertida ao liberalismo.  Quando  começaram  a namorar, Célia era de menor. Rompeu com os pais, foi morar com uma tia para se casar com ele. Em junho de 1928 viajaram para Buenos Aires, na altura da cidade de Rosário. Célia que já estava grávida, começou a sentir as contrações. Ela acabou por dar à luz na Maternidade do Hospital Centenário, no dia 14 de junho. Nasceu Ernesto Guevara Serna que, logo nos primeiros dias, sofreu uma grave bronco-pneumonia que quase o matou.
            Passou  a infâcia  em  Caraguatay, na província de  Missiones,  onde  seu  pai  tinha  uma  plantação  de erva-mate. Sua irmã, Célia (como a mãe, afinal eles não eram muito criativos ao dar nomes aos filhos) nasceu no final do ano de 1929.
            Em 1930, seu pai se transfere para San Isidro, perto da fronteira com o Paraguai e se torna sócio de um estaleiro. Em 1931, sua mãe e ele tomam banho no rio e quando saem da água, ele começa a tossir. O médico faz o diagnóstico:  bronquite.  Mas ela  não  cede  aos  cuidados e,  mais tarde,  outro diagnóstico:  bronquite asmática perseverante . Por fim: asma.  Os médicos afirmavam que nunca tinham visto um menino com crises asmáticas tão agudas. Seus pais acreditavam que ele não iria sobreviver devido à doença,  tamanha  era a  sua gravidade. Isso influenciou na sua vida desde o começo, sendo que a primeira palavra que aprendeu a dizer foi  "injeção", pedindo quando a asma o sufocava.
            Em 1932 a família se muda para  Buenos Aires, onde nasce seu irmão Roberto. O clima porém não fez bem ao menino. Foram, portanto, em 1933 para argüello, Córdoba, porém a asma não cede.  Por recomendações médicas procuram um clima seco e se mudam para Altagracia. lá, ele ficou um pouco melhor. Fez suas primeiras amizades, entre elas a de CarlosFerrer (o Calica), filho do médico com quem se tratava. Não pode freqüentar os primeros anos de escola e sua mãe lhe ensinou a ler e a escrever. Em 1934, nasce sua irmã Ana Maria, que acabou por lhe servir de apoio quando se cansava dos ataques de asma.
            Aos 10 anos, ele se cansou de ficar lendo na cama e acabou se fascinando por brincadeiras perigosas, violentas e passeios sem permissão. Herdou esse instinto de sua mãe  que era muito aventureira. Seus pais decidiram então mandá-lo à escola e ele estudou como podia.  A situaçao da família piora. Seu pai, infeliz por se sentir preso, começou a ter neuroses. Eles gastavam muito mais do que podiam com a doença de Ernesto. Um ano depois, seu pai costumava trazer jornais e as matérias sobre a Guerra Civil Espanhola entra na sua vida, que fez da vitória da república contra os militares uma satisfação sua. Ele acompanhava a movimentação pelo mapa e reproduzia em casa com seu irmão. Aos domingos, fazia tiro ao alvo com seu pai e desde os seus 5 anos já sabia manejar uma arma.
            Em 1939, mudam-se novamente. Surgiram novos amigos em sua vida. Audacioso, ele saltava do terceiro andar, de terraço em terraço, para a perplexidade de seus amigos. Em 1940, seu pai se filia à Ação Argentina (organização anti-fascista) e Ernesto com 12 anos se oferece para fazer investigações sobre infiltração nazista entre os alemães na zona de Altagracia. Ele já era muito avançado culturalmente  para os seus meros 12 anos..
            Dois anos mais tarde, ingressa no liceu Dean Funes. Em Córdoba, para onde viajava 35 quilômetros todos os dias e onde estudava a aristocracia.  Ele enfrentava com todas as suas forças, aquela sua eterna luta contra a asma. Tentou depois, estudar desenho por correspondência na Academia Oliva de Buenos Aires, mas acabou desistindo em função de não ter talento e a família não poder pagar. Era Ernesto sim, um amante da literatura. Leu Júlio Verne, Alexandre Dumas, Emílio Salgari, Robert Lovis Stevenson, Miguel Cervantes, Steinbeck, Baudelaire (em seu idioma original) , Engels, Marx, Lorca, Verlaine, Neruda e Lê Mallarme. Se emocionou muito com a história de Gandhi. E tinha o costume de fazer anotações de sua leitura de forma ordenada.
            Seu irmão caçula nasceu no dia 18 de maio de 1943, Juan Martín. ernesto tinha fortes fobias de água, por que ela desencadeava sua asma e por isso, detestou os banhos pelo resto de sua vida. Quando se deu um golpe militar, declarou em classe: "Os militares não dão cultura ao povo, pois se o povo tivesse cultura não os aceitaria" .  Isso lhe valeu a expulsão de sala de aula.  Mais tarde, em 1943, se inscreve no serviço militar mas é recusado por causa da asma. Terminou o liceu e decidiu estudar Engenharia, e mudou-se para a casa de sua tia Beatriz. Nas férias fazia curso de laboratorista de solo e é aprovado junto com seu amigo Tomás Granado. Nessa época o assassinato de seu herói de juventude, Gandhi, marcou-o profundamente. Ele pretendia conseguir os programas e fazer estudos livres de engenharia, mas sua avó ficou doente e ele vijou para Buenos Aires. Cuidou dela durante 17 dias, até que faleceu. Esse acontecimento somado ao fato de sempre ter sofrido de asma foram os motivos que o levaram a estudar medicina. Na biblioteca, chegava a passar 12 horas por dia, não se dedicando ao curso, mas lendo livros de literatura. Mais tarde, trabalhou como editor cronista da revista Tackle, usando o pseudônimo de Chang-Cho (um chancho achinesado) .
            No dia 1 de janeiro de 1950, resolve fazer uma estranha viagem: põe motor em sua bicicleta e percorre toda a República, como um errante. Depois dessa viagem de 4,5 mil quilômetros, das dificuldades que enfrentou e da solidão, a universidade acabou por se tornar pequena pra ele. Em outubro do mesmo ano, foi a um casamento na casa dos Gonzales Aguilar e conheceu uma jovem, filha de uma oligarquia cordobesa. Os pais dela, ricos, eram donos de uma fazenda onde os lugares das famílias na igreja era separado dos lugares dos peões. Foi uma relação que parecia impossível, visto que Ernesto desprezava as oligarquias e ela, as classes pobres. Seu nome: María del Carmen Ferreyra Chichina.  Mas comecóu a namorar com ela. Lá pelo fim de 1950, se inscreve para trabalhar como enfermeiro em navios mercantes da marinha. E em fevereiro de 1951, começa a viajar em cargueiros petroleiros, a fim de ganhar um pouco de dinheiro. Durante as viagens ele estudava para em setembro, outubro e novembro prestar os exames e tornar a embarcar. O namoro com María passou a se resumir em cartase visitas esporádicas. Depois que deixou a marinha, foi trabalhar com Pisani, alergista a quem ajudou a pesquisar vacinas e anti-alérgicos.
            Em novembro, esteve à beira de um ataque cardíaco devido a uma febre altíssima porque se contagiou ao utilizar um aparelho de moer vísceras de um cadáver sem utilizar o filtro.

A viagem

             De um sobressalto, resolve ir para a América do Norte, mas não antes de se despedir de todos. Despedida essa que demorou alguns dias a mais do que o esperado.  Ele foi em companhia de Alberto.  Atravessaram todo o Chile, viajaram como clandestinos num navio. Chegam ao Peru, avançando pelo Lago Titicaca até Cuzco, onde Ernesto se maravilha diante do mundo inca.  Viajaram pelo país até chegarem em 1 de maio a Lima, no Peru. Observaram o racismo da sociedade peruana. A 17 de maio,  realizou uma das façanhas de sua vida: atravessou a nado, na diagonal, o rio Amazonas. Na Colômbia, convencem o gerente do Independiente Sporting de Letícia a contratá-los por serem ótimos jogadores de futebol.  No fim de julho, já estavam na Venezuela. Granado consegue trabalho e Guevara decide continuar. Viajou num avião cargueiro até Miami. Porém, estragou o avião e ele acabou permanecendo 20 dias na absoluta miséria. Retornou no mesmo cargueiro, a família o esperava. Retornou mais magro, mais duro e mais interessado por política.
            Em janeiro de 1953, faz a última visita a María. Seu último exame foi prestado no dia 11 de abril junto com Calica. Recebeu o diploma dia 11 de julho e no dia 07 de julho, parte com Calica para a Venezuela ao encontro de Granado, os dois com menos de 700 dólares. Permaneceu um tempo na Bolívia, na casa de um rico argentino em La Paz, o advogado Ricardo Rojo, exilado do peronismo. Na rota de saída do país, visita as ruínas de Tihuanaco, a Ilha do Sol e o Lago Titicaca. Chegam ao Peru, no dia 17 de agosto e quatro dias depois tiram fotos.  Guevara tinha uma confidente com quem se correspondia sempre : Tita Infante. Em Lima ele começa a observar os sintomas da decomposição política gerados pela ditadura militar.  Seguiu para o Equador, onde em Guayaquil encontrou Rojo que conta que Ernesto ganhou a aposta de que sua cueca ficaria em pé sozinha pela terra acumulada no caminho.
             Para seguir viagem vendem parte das roupas que possuem e saem no dia 24 de outubro rumo ao Panamá. Calica se separa e vai para a Venezuela. No Panamá, são abrigados por Rômulo Escobar, um dirigente estudantil. A polícia cosntumava detê-lo por questões políticas. Ali. começou a publicar seu artigo sobre Machu Pichu para a revista Siete.
            Em dezembro chegam à Costa Rica. Os livros causavam problemas nas fronteiras e foram deixados com Escobar. Na Costa Rica, conheceu dois ilustres exilados políticos: o dominicano Juan Bosch e o venezuelano Rômulo Betancourt. A caminho da guatemala passaram pela parte mais dura da viagem, a pé, ensopados de chuva e com fome.  Encontrou Rojo e os irmãos Beberaggi, num carro e Ernesto vê um telegrama de seu pai que lhe enviou dinheiro. Vão à Guatemala, vendendo os pedaços do carro. Sua asma piorou mas ele estava decidido a procurar trabalho. Encontrou Harol White, um professor de filosofia americano que escrevia uns artigos irados com os norte-americanos. Depois conheceu o cubano Ñico López, de 22 anos, que futuramente  participaria das ações do  26 de julho em Cuba, atacando o coronel de Bayana, no mesmo dia do assalto de Moncada. Depois de 2 meses na Guatemala, a situação política vai ficando tensa, com possibilidades de um golpe de estado. ernesto se aproxima da esquerda guatemalteca, porém ele continua apenas como observador, à margem dos acontecimentos. Sua situação era de extrema pobreza e precariedade, mas ele não se cansa de procurar trabalho como médico.
            Conheceu Hilda Gadea, e  eles mantém muitas conversas filosóficas que acaba sendo uma relação tipo um namoro intelectual: trocavam livros, idéias e ele acaba por propor-lhe casamento mas ela não responde.  Ela e Ricardo disseram-lhe que ele só não conseguia emprego porque não aceitou filiar-se ao PGT, o que indignou-o. Foi para El Salvador e esperando um visto para entrar em honduras, confiscaram-lhe os livros. A polícia o detém por andar falando em reformaagrária e sugeriu que ele deixasse de lado a poesia política e se dedicasse à poesia amorosa.
            Quando deu-se a invasão do exército de mercenários de Castillo, o presidente deu ordem de distribuir armas ao povo. Houve bombardeios e mortes. Ernesto e Hilda mudam de casas, porém quando ela foi pegar umas roupas em sua casa, foi pega e detida pela polícia e solta no dia 28 de julho.
Em setembro, Ernesto decide pegar um trem até o México, Hilda volta à cidade de Guatemala. Na viagem ele conheceu um jovem que também fugia da ditadura militar. Na fronteira trocam de trem rumo à cidade do México, refúgio dos exilados políticos latino-americanos.
            Conseguiu uma câmera com outro refugiado político que lhe dera para que Ernesto pagasse quando e como pudesse. então, ele passou a tirar fotos e as vendia , tentando convencer os clientes de que eram umas maravilhas. desta forma conseguiu se manter  por algum tempo. Mudou-se para um apartamento melhor e já conseguia tomar banho todos os dias devido à água quente. Apesar disso, estava insatisfeito com sua passividade diante dos fatos, mas acabava por não tomar nenhuma outra atitude. Sua vida melhorou um pouco quando encontrou o coordenador da agência de notícias oficial da Argentina, que lhe oferece um cargo de fotógrafo.
            Hilda tinha sido deportada da Guatemala e foi imediatamente ao encontro de Ernesto. Ele propos-lhe novamente casamento, mas diante da indecisão dela, decidiu que seriam apenas amigos. Porém um tempo depois começaram a namorar. Passou 22 meses no México, e em todas as suas cartas aos seus pais e a Tita, se encontra 161 menções sobre viagens que pretendia fazer.
            Não conseguiram licença para o casamento e decidiram morar juntos no apartamento que Hilda morava com sua amiga Lucila. No mesmo dia, Fidel castro que estava na cadeia foi solto.  Ernesto, já com 27 anos, fez um balanço de sua vida e, temendo estar se acomodando, resolve mudar seu caminho. 

A Revolução Cubana